Pesquisar Apaes

Você deseja ir para qual instituição Apae? Clique nas setas para visualizar as opções.

Estado

Unidade

Brasil fatura mais 6 pódios e ocupa 4º lugar no Mundial Paralímpico

Com 24 pódios, sendo 15 deles de ouro, a China lidera essa disputa entre países, seguida pela Itália, que tem 21 medalhas, dez delas de ouro, e está logo à frente dos Estados Unidos, donos de oito medalhas douradas e um total 23 pódios.

A seleção brasileira de natação conquistou mais seis pódios no terceiro dia de disputas do Mundial Paralímpico, encerrado no final da noite desta segunda-feira, na Cidade do México, e assim se garantiu na quarta posição na classificação geral da competição que vem sendo realizada na Piscina Olímpica Francisco Marquez, agora com um total de 19 medalhas.

Com 24 pódios, sendo 15 deles de ouro, a China lidera essa disputa entre países, seguida pela Itália, que tem 21 medalhas, dez delas de ouro, e está logo à frente dos Estados Unidos, donos de oito medalhas douradas e um total 23 pódios.

Além de André Brasil e Daniel Dias, que seguem como principais destaques do País e conquistaram respectivamente ouros nos 200m medley e nos 50m costas nesta segunda-feira, o time nacional amealhou mais quatro pódios. Um deles, por sinal, foi de ouro, com Thomaz Matera triunfando nos 100m borboleta na classe S12, com deficiência visual.

Principal astro paralímpico brasileiro, Daniel Dias não escondeu a alegria pelo seu novo feito em solo mexicano, onde passou a contabilizar um total de 27 ouros em Mundiais. “Sei o quanto o esporte paralímpico se renova e novos atletas surgem a cada ciclo paralímpico. Eu sei que tem gente que pensa: ‘Puxa, já são sete anos de conquistas e ainda continua com excelentes conquistas’. Mas é isso que me motiva: querer ser um atleta melhor a cada dia”, destacou Daniel.

Ruiter Silva, por sua vez, levou uma prata nos 200m medley ao ser o segundo colocado entre os competidores que nadaram na categoria S9, enquanto André Brasil concorreu com o compatriota nesta final mesmo sendo enquadrado como único competidor da S10. Por causa desta diferença de classes, Ruiter é considerado medalhista de prata mesmo tendo sido superado por Federico Morlacchi, ouro com 2min21s48.

E essa prata do goiano radicado na cidade mineira de Uberlândia veio de forma sofrida, na batida de mão para conquistar a sua primeira medalha individual em Mundiais Paralímpicos. O seu tempo foi de 2min27s08, apenas 16 centésimos de segundo mais rápido do que o do espanhol Oscar Galisteo, superado na última braçada.

“A alegria é muito grande de conquistar uma medalha de prata em uma prova que não é minha especialidade, com este tempo, na Cidade do México, que tem altitude (de 2.250m acima do nível do mar)”, comemorou o brasileiro, que possui má formação congênita no braço esquerdo e por muito pouco também não obteve outro pódio nesta mesma noite de segunda-feira. Ele fechou em quarto lugar a prova dos 100m livre de sua classe a ser superado novamente por Morlacchi, que ficou com o bronze em 57s71, enquanto o brasileiro ficou em quarto lugar com 57s87.

Também competindo nos 100m livre, mas na categoria S4, Patrícia Santos faturou uma prata em prova realizada na primeira parte do dia na Cidade do México. E, completando o dia de pódios brasileiros na competição, Felipe Caltran levou o bronze nos 200m medley na classe S14.

Outros brasileiros que foram para a água em disputas desta segunda-feira: Edênia Garcia terminou em quarto lugar a disputa dos 100m livre na categoria S3; Ítalo Pereira foi também o quarto colocado nos 50m livre S7; Gabriel Souza foi o quinto nos 50m livre S9, Beatriz Carneiro ficou apenas na sétima posição nos 200m medley s14; e finalmente nos 100m livre S6 Talisson Glock foi somente o oitavo e Luís Silva o décimo colocado.

Nenhum registro encontrado.

Endereço:
SDS Venâncio IV Cobertura CEP: 70393900 - Brasília/DF
E-mail:
[email protected]
Telefone:
(61) 32249922